);
Camiseta estampada
25 de outubro de 2018
Camisetas atacado
25 de outubro de 2018

Camiseta turística

 

camista-turistica

 

 

As recordações que levamos de nosso município, ou lugar visitado pode ser adquirido na forma de estampas em camisetas, além disso beneficia o artesanato local que se baseia na história da arte local, na história da população local, assim como no traço de desenhistas e no de um humor que foi destacado. Além de ser exposta em apenas uma estampa ao longo de nosso cotidiano, a estampa torna-se eterna.
Antes de qualquer coisa, necessita-se recordar que nós usamos vestimentas padronizadas ao fazer viagens internacionais ou mesmo quando embarcamos em uma excursão. Primeiramente daremos os exemplos masculinos, pois se analisarmos, todos possuem um certo padrão em comum: Usar camisetas de seleções de futebol. Em especial, os brasileiros creem que usar a camiseta de seu clube de futebol é como comparar, a grandeza de torcer por seu time em um jogo com a magnitude do lugar de um lugar de fé.
Para completar o figurino, se a temperatura está elevada, o conjunto bermuda estampada de surfista aparecer como complemento a camiseta de futebol. Seja em qualquer lugar do mundo, se a temperatura subir a bermuda é retirada do guarda-roupa para ser vestida, o contrário acontece quando há um decréscimo, então aposta-se na calça jeans. Raramente encontra-se um brasileiro com roupa social em sua bagagem, pois sua mala está recheada de roupas tropicais, pois se quer cogita a possibilidade de ir a um lugar mais sofisticado ou social em suas viagens. Quando não é as roupas mais esportivas, a única peça jeans levada é utilizada a viagem inteira quando esfria a temperatura
Sabe-se que ninguém viaja sem relatar aos amigos suas experiências. Um estudo realizado pelos funcionários da Torre Eiffel relatou que brasileiros ficaram mais tempo postando fotos e comentários em redes sociais do que realmente visualizando a paisagem. De acordo com minha experiência, esse fenômeno ocorre em todos os lugares como museus, jardins e até mesmo restaurantes. Isso acontece com tanta frequência que deixamos de registrar fenômenos importantes diretamente com os olhos para olhar por uma câmera, que na busca da “posição” perfeita, ocorre uma falta de apreciação do fenômeno em si, assim como acontece em restaurantes, que a comida acaba perdendo o sabor e calor devido ao cliente ficar querendo a foto perfeita para registrar para si e mostrar ao demais.
Além desse péssimo hábito, cultivamos outro que é péssimo, o de falar alto demais, hábito que pode ser equivalente ao dos italianos, com a diferença de ninguém se entender, pois os gritos ocorrem simultaneamente. Pois bem, poderia citar diversas outras características que temos como turistas, como furar a fila sem brigar com outros, contudo gostaria de ressaltar um comentário de que dificilmente vi um brasileiro passar por pequenos animais que vivem em arvores sem registrar o momento com uma foto.
O que podemos registrar além de fotos quando vamos a um lugar? A famosa lembrancinha, a qual quem viaja nunca volta para casa sem levar algo para a família e amigos para dizer que esteve em determinado lugar. É bastante normal ver diversos viajantes distribuírem para filhos, tios, amigos e até mesmo pais e avós, algo diferente que remeta ao destino visitado. Isso pode ser uma demonstração de afeito, mas que pode ter efeito reverso no momento que você decidir levar uma lembrancinha que não possua as características adequadas que o presenteado não goste ou nem use, pois quando você compra algo para dar de recordação aos seus entes queridos, possui a intenção de que sejam usados correto?
Que possamos atirar o primeiro ímã de colocar na geladeira aquele que jamais se confundiu na hora de comprar lembrancinhas de viagens para seus familiares e amigos. A compra desses artigos é uma atividade em que o turista na boa intenção pensa em presentear seus entes queridos que não estão com ele naquele momento, porém pode ser complicado quando se escolhe o item errado. No final das contas, não há maleficio em gastar dinheiro para buscar um presentinho para quem gostamos não é mesmo? Talvez isso deva ser denominado como um sentimento de consciência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *